Saúde das Crianças: Lancheira Saudável e seus Benefícios

por Denise Cussioli 

As crianças desde cedo estão expostas a uma ampla variedade de alimentos com diversas composições, sabores, texturas e cores, porém, muitos destes alimentos são  ricos em açúcares, sal e em gorduras.

Isso ocorreu, devido a uma revolução que se produziu no modo de vida e nos hábitos alimentares das crianças atribuídas pelas, propagandas de produtos alimentícios na televisão, influências comportamentais negativas de sua família (horários rígidos para realizar as refeições e erros nas escolhas e práticas alimentares). As práticas alimentares são importantes na determinação das condições de saúde nesta fase da vida, pois os filhos vão sempre usar os pais como um parâmetro para saber o que pode ou não.

A falta de atividade física associada a uma má alimentação, coloca o futuro das crianças em risco. O que é necessário então?

Uma refeição equilibrada em nutrientes (quantidade, qualidade, harmonia e adequação)…

Interessante, mas não é nada fácil colocar uma fruta na lancheira escolar da criança e ele compartilhar com a lancheira de seus amiguinhos de escola com biscoitos recheados…

Por isso, os hábitos saudáveis devem vir de casa, na prática e nos conceitos sobre alimentação, a medida que as crianças crescem, adquirem conhecimento e assimilam conceitos – período ideal  para fornecer informações nutricionais  sobre a importância de consumir  alimentos como frutas, verduras e legumes.

Além de promover atitudes  positivas em relação a estes alimentos, investir na imaginação, fazer com que a  criança monte sua própria  lancheira, preparando seu lanche e suas escolhas  de forma colorida  e caprichada para ser consumida com prazer. Experimentar, degustar novos alimentos e colocar a mão na “massa” preparando seu lanche… desperta a curiosidade da criança.

Uma refeição ou lancheira com fontes de nutrientes proveniente das frutas, verduras e legumes  irá contribuir na concentração dos estudos e, consequentemente, aumentar o rendimento escolar.

Alimentos ultraprocessados, ricos em açúcares, sal e gordura, como os refrigerantes, bisnaguinhas, bolos e pães com farinha branca, têm alto índice glicêmico, ou seja, libera açúcar muito rápido para a corrente sanguínea, dando um pico de energia instantânea, porém passageira, não satisfazendo a “fome’ e aumentado o consumo destes respectivos alimentos.

O hábito de manter uma alimentação saudável infantil auxilia na prevenção de cáries e ajuda na manutenção do peso e a ser um adulto saudável.

Como oferecer opções saudáveis para a lancheira?

O ambiente fora de casa pode ser um incentivo para a criança provar algo diferente, vale conversar com os outros pais da escola para que todos promovam a lancheira saudável, assim todas as crianças se beneficiam.

Uma lancheira saudável precisa ser composta com fonte de alimentos que contenham carboidratos, fibras, proteínas, vitaminas, gorduras boas e pequenas quantidades de açúcares. Por exemplo:

  • Fonte de carboidratos ricos em fibras: pães integrais, pão com frutas cristalizadas, pão sírio, pão de cenoura, pão de beterraba, crepes, batata doce, bolos e biscoitos integrais todos preparados em casa (sem a farinha branca), não colocar cobertura nos bolos… Sugestões: Bolo de laranja com erva doce, bolo de beterraba, bolo de milho, bolo de banana, etc. Preparados com pouco óleo vegetal, sal e ou açúcar. Os bolos podem ser embrulhados em filme plástico, quando frescos duram cinco (05) dias. O bolo caseiro e pães substituem os bolinhos e bisnaguinhas industrializados.
  • Fonte de proteínas: carnes (bovina, frango, peixe e suína) podem ser utilizadas no recheio de tortas salgadas ou salgados assados. Para rechear mini sanduiches, prefira queijos ou requeijão artesanais, patês de atum ou frango (feitos com queijo ricota ou requeijão artesanal). As preparações com patês duram até três (03) dias na geladeira. As carnes assadas de uma preparação do domingo podem ser desfiadas, acrescentadas nos recheios e/ou com saladas. Temos os iogurtes, de preferência, o natural com pedacinhos de frutas,  vitamina de frutas, queijos magros artesanais (mais brancos e claros) e omeletes preferencial assados.
  • Fonte de vitaminas e minerais: frutas, verduras e legumes, prefira sempre os da época (*), sucos naturais de frutas sem açúcar, diversificando com cenoura e beterraba, maçã verde e salsão, água de coco. Sugestão: preparar a polpa da fruta congelada, bata os pedacinhos das frutas com um pouco de água e congele em forminhas de gelo. No dia de montar a lancheira, coloque alguns gelinhos desta polpa na garrafa térmica com mais uma pouco de água (ou água de coco), sacudir e beber. As verduras e legumes podem ser acrescentas na massa ou recheio de tortas, pães e salgados assados, preparar saladas com tomatinhos colocar torradinhas e pedacinhos de queijos.
  • (*) outubro é época de: abacaxi, jabuticaba, banana-nanica, laranja-lima, laranja pera, cara, cogumelo, ervilha, inhame, pimentão, rabanete, almeirão, couve-manteiga, couve-flor, escarola (chicória), espinafre, louro, orégano.

* Denise Cussioli Gonçalves, Nutricionista e Gastrônoma, CRN3 5417. E-mail: [email protected]

Lanche Saudável

Dica #EssenciadoVale: Manga e Ameixa em Cubos e Creme de Cacau Meio Amargo Essência do Vale

Receita: Brigadeiro Vegano de Biomassa de Banana Verde

O sucesso da receita de Maionese de Biomassa de Banana Verde foi tanto que estou divulgando aqui outra receita super top da minha lista de produtos feitos com biomassa de banana verde.

Se desejar saber tudo sobre Biomassa de Banana Verde, você pode baixar meu e-Book de Banana Verde: Benefícios para sua Saúde + 5 Receitas Receitas da @lurochachef.

Vamos lá a Receitinha…

 

 

Ingredientes:

1 pote de Biomassa de Banana Verde Integral 240g
1/2 xícara de chá de açúcar mascavo
3 colheres de sopa de Óleo de Coco
3 colheres de sopa de Cacau em Pó 100%

Modo de Preparo:

Coloque todos os ingredientes em uma panela de preferência antiaderente, leve ao fogo brando, mexendo sempre, até ficar brilhante e desgrudar do fundo da panela, conforme pode observar no vídeo.

Dicas interessantes:

  1. Você pode utilizar outro tipo de óleo ou gordura se preferir. Quem não for vegano, a dica é utilizar Manteiga Ghee.
  2. Você pode fazer utilizando a mesma quantidade de adoçante culinário, se for diabético. Lembre-se que se você não for diabético, é melhor consumir pouco açúcar a adoçantes.

A Biomassa de Banana Verde é uma base saudável para receitas doces e salgadas, que pode ser incluída diariamente no cardápio.

Sem glúten e de sabor neutro, a biomassa de banana verde pode substituir a farinha de trigo, soja, fécula de mandioca, amido de milho, maionese, creme de leite, etc… em diversas preparações, além de funcionar como emulsificante e espessante natural, contribui para melhora da flora intestinal.

Abraços,

Helena Muzzi
Engenheira de Alimentos

Receita: Maionese de Biomassa de Banana Verde

A Biomassa de Banana Verde é uma base saudável para receitas doces e salgadas, que pode ser incluída diariamente no cardápio.

Sem glúten e de sabor neutro, a biomassa de banana verde pode substituir a farinha de trigo, soja, fécula de mandioca, amido de milho, maionese, creme de leite, etc… em diversas preparações, além de funcionar como emulsificante e espessante natural, contribui para melhora da flora intestinal.

Nesse post vou ensinar como fazer uma receita super versátil de Maionese de Biomassa de Banana Verde

 

Ingredientes:

1 pote de Biomassa de Banana Verde 240g
1/2 xícara de chá de água
suco de 2 limões
3 dentes de alho
1/2 xícara de chá de Azeite Aromatizado
2 colheres de chá de Mostarda Artesanal Gourmet
1 colher de café de Sal Temperado com Ervas

Modo de Preparo:

Coloque todos os ingredientes no liquidificador, bate até obter consistência bem cremosa, conforme pode observar no vídeo.

https://youtu.be/EDVQtHh_pQ8

Dicas interessantes:

  1. Você pode alterar as quantidades do alho e da Mostarda Artesanal Gourmet de acordo com o seu paladar. Se gostar mais forte pode acrescentar, se gostar mais suave pode reduzir. Para o meu paladar pessoal, essa proporção é a ideal.
  2. Se desejar um gostinho mais acentuado do limão, o que acrescentar de limão, reduzir da água, pois pode deixar a Maionese mole.
  3. Você pode acrescentar Ervas Finas para fazer um Molho Saudável de Salada ou um Catchup Artesanal para fazer um saboroso Molho Rosè, para uma saladinha de alface… hummmm!
  4. Quer preparar um Wrap Saudável e Saboroso? Vamos lá: rale Cenoura e Beterraba, coloque sobre a folha de Wrap, faça uma camada de Maionese de Biomassa de Banana Verde, coloque uma folha de alface, enrole seu Wrap e se delicie…

Abraços,

Helena Muzzi
Engenheira de Alimentos

Tabela Nutricional: Qual o Tamanho da Porção dos Alimentos?

Como Definir a Porção dos Alimentos na Tabela Nutricional

Eventualmente encontramos produtos alimentícios do mesmo tipo, mas com o tamanho de porção diferente em sua tabela nutricional, causando uma certa confusão ao consumidor, que nem sempre fica atento a essa diferença.
Isso acontece porque a Resolução RDC nº 359, de 23/12/2003, da ANVISA, possui uma vasta lista de alimentos com tamanhos de porções já pré-definidos. No entanto, há alguns produtos que não estão descritos claramente nesta lista e, por isso, necessitam de interpretação durante a elaboração da tabela nutricional.

Como é Definida

Como qualquer tipo de legislação, o que ocorre é que cada pessoa que calcula a tabela nutricional dos produtos que não constam na listagem, pode ter uma interpretação diferente de qual grupo encaixar o produto em questão.
A ANVISA não interfere nessa decisão e deixa a critério de cada fabricante decidir como classificará o alimento. Conforme consulta feita a própria ANVISA n° 2016249610, diz:  “informamos que a GGALI não efetua esse tipo de análise (interpretação de qual porção utilizar caso o alimento não esteja descrito na norma). No entanto, esclarecemos que as porções dos alimentos para fins de rotulagem nutricional que não estão contemplados na legislação devem atender aos critérios estabelecidos na RDC n° 359/2003, nos itens 4 e 5.”

O que é a Porção dos Alimentos

De acordo com a Resolução RDC nº 359, de 23/12/2003, “porção dos alimentos é a quantidade média do alimento que deveria ser consumida por pessoas sadias, maiores de 36 meses de idade em cada ocasião de consumo, com a finalidade de promover uma alimentação saudável e que se tomou como base uma alimentação diária de 2000 Kcal ou 8400 kJ. Os alimentos foram classificados em níveis e grupos de alimentos, determinando-se o valor energético médio que contém cada grupo, o número de porções recomendadas e o valor energético médio que corresponder para cada porção.”

Como Comparar as Tabelas Nutricionais dos Produtos

Alerto para que antes de comparar o teor de qualquer nutriente de qualquer produto alimentício, primeiro observe atentamente o peso da porção em gramas definida na tabela nutricional. Caso os pesos das porções dos produtos que estão sendo comparados sejam diferentes, é necessário fazer os cálculos dos nutrientes para o mesmo peso da porção.
Importante também verificar com seu nutricionista ou médico qual é a sua indicação diária para cada alimento/ nutriente, porque como falado acima, a RDC n° 359/2003 foi elaborada para uma média da população. No entanto, estamos observando em vários estudos que cada pessoa pode possuir uma necessidade especial dos diversos nutrientes.

Exemplo Prático

Um exemplo prático é a Biomassa de Banana Verde, que é um purê ou concentrado vegetal, mas ela é utilizada na culinária como um espessante, semelhante a um amido ou fécula, ou mesmo como um ingrediente para enriquecer os preparos. De acordo com a nutricionista Edna Costa, da Unifesp, em estudos realizados a sugestão de consumo é de duas colheres (sopa) da biomassa de banana verde por dia.
Pela RDC n° 359/2003, a porção do purê ou concentrado vegetal é de 60g (3 colheres de sopa). Dos amidos e féculas, a porção é de 20g (1 colher de sopa). Individualmente, ninguém consome 3 colheres de sopa de Biomassa de Banana Verde em uma refeição.
Considerando que a orientação de consumo individual de Biomassa de Banana Verde é de 2 colheres de sopa por dia e, normalmente, o melhor é dividir em 2 refeições para melhorar a absorção dos nutrientes. Ao elaborar a tabela nutricional da Biomassa de Banana Verde da Essência do Vale, achei mais prático e coerente declarar a porção de 20g.

Nova Rotulagem Nutricional

De acordo com a Instrução Normativa (IN) nº 75/2020, que entrará em vigor em 2022, Tabela de Informação Nutricional passará por mudanças significativas. A primeira delas é que a tabela passa a ter apenas letras pretas e fundo branco. O objetivo é afastar a possibilidade de uso de contrates que atrapalhem na legibilidade das informações.   

Outra alteração será nas informações disponibilizadas na tabela. Passará a ser obrigatória a identificação de açúcares totais e adicionais, a declaração do valor energético e nutricional por 100g ou 100ml, para ajudar na comparação de produtos, e o número de porções por embalagem.  

Essa mudança, na minha opinião, será muito importante para ajudar o consumidor a decidir qual alimento consumir, sem a necessidade de fazer cálculos da quantidade de nutrientes.

Obrigada por mais essa oportunidade de passar informação para você!

Helena Muzzi

 

Como Utilizar Biomassa de Banana Verde

A Biomassa de Banana Verde é uma base saudável para receitas doces e salgadas, que pode ser incluída diariamente no cardápio.

Sem glúten e de sabor neutro, a biomassa de banana verde pode substituir a farinha de trigo, soja, fécula de mandioca, amido de milho, maionese, creme de leite, etc… em diversas preparações, além de funcionar como emulsificante e espessante natural, contribui para melhora da flora intestinal.

Mas vamos lá ao que interessa, como utilizar a Biomassa de Banana Verde?

 1- Substituição de ingredientes em receitas

Atualmente na internet tem uma imensidão de receitas que utilizam a Biomassa de Banana Verde, mas cada pessoa pode criar a sua receita. Se for fazer um bolo, sobremesa, suflê, purê, pão, etc…pode substituir uma parte dos ingredientes por Biomassa de Banana Verde. Pode utilizá-la também para engrossar o caldo de feijão ou uma sopa.

2-    Enriquecer vitaminas, sucos e shakes

Basta colocar uma colher de sopa para cada copo da bebida e bater tudo junto no liquidificador.

3- Elaborar receitas sem glúten e sem lactose

Ai você precisa buscar uma receita, testá-la e aprimorá-la conforme seu paladar.

4-    Enriquecer sua refeição colocando a biomassa direto no prato

Pode ser consumida como normalmente consumimos farinha de mandioca no prato, misturada no feijão ou até na salada temperada com azeite e ervas. Esta é a melhor opção para quem tem a indicação de consumo diário por parte de um nutricionista, porque assim é possível dosar corretamente a quantidade de biomassa consumida individualmente.

 

Criada nos anos 90 pela bananicultora Heloísa de Freitas Valle, também autora do livro Yes, Nós temos bananas, histórias e receitas com biomassa de banana verde, Ed. SENAC 2003, a biomassa de banana verde rapidamente ganhou adeptos na nutrição, gastronomia e na indústria alimentícia.

biomassa de banana verde possui boa textura e não tem sabor residual. A grande quantidade de fibras e amido resistente faz da banana verde um alimento funcional, por facilitar o trânsito intestinal e o aumento da saciedade promovido pelo amido resistente.

Nos últimos anos diversos estudos científicos comprovaram os benefícios nutricionais da banana verde. O amido resistente contido na biomassa de banana verde possui ações prebióticas e probióticas.

Abraços,

Helena Muzzi
Engenheira de Alimentos

Qual a diferença da Manteiga Ghee x Manteiga de Garrafa

Estou muito feliz com a interação dos internautas com meus informativos. Essa semana, atendendo um pedido: Qual a diferença da Manteiga Ghee x Manteiga de Garrafa (ou da Terra). 

Algumas pessoas dizem que é a mesma coisa…A aparência final pode até ser, mas o processo é diferente…

Vamos lá à explicação…

De acordo com as diversas legislações que regulamentam a INSPEÇÃO INDUSTRIAL E SANITÁRIA DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL, temos os seguintes conceitos de produtos:

Manteiga

“É o produto lácteo gorduroso obtido exclusivamente pela bateção e malaxagem, com ou sem modificação biológica do creme de leite pasteurizado, derivado exclusivamente do leite de vaca, que passa por processos tecnologicamente adequados. A matéria gorda da manteiga deverá estar composta exclusivamente de gordura láctea.”

Manteiga de Garrafa ou da Terra

“É o produto gorduroso nos estados líquido e pastoso, obtido a partir do creme de leite, pela eliminação quase total da água, através do aquecimento do creme de leite a temperaturas entre 110 e 120°C sob agitação até completa fusão, considerando-se o ponto final de aquecimento a interrupção da produção de bolhas, com precipitação da fase de sólidos não gordurosos sob forma densa e opaca, que constitui a borra e adquire coloração parda (café).”

“A fase sobrenadante, oleosa e líquida, separada por decantação em temperatura ambiente, que é a manteiga de garrafa ou da terra.”

Butteroil ou Gordura Anidra de Leite

“É o produto obtido a partir de creme ou manteiga pela eliminação quase total de água e sólidos não gordurosos, mediante processos tecnologicamente adequados.”

Especificamente, na legislação sanitária brasileira, não existe o conceito de Manteiga Clarificada e/ou Manteiga Ghee. Mas como pode-se observar nos conceitos acima, ela se enquadra no conceito de Butteroil.

Manteiga Ghee

Tecnicamenteé o óleo purificado da manteiga, onde através de aquecimento lento, toda a água e os elementos sólidos da gordura do leite e lactose são removidos. Sensorialmente, é um óleo dourado, transparente e brilhante, que não fica rançoso.

Se preparada adequadamente, apresenta as seguintes qualidades: não contém sal, não contém lactose, não produz fumaça em altas temperaturas altas, não necessita de refrigeração, mesmo após aberto.

Porém a temperatura ambiente e/ou abaixo da temperatura ambiente pode ficar bifásica e/ou apresentar cristais esbranquiçados, fenômeno que acontece também com o óleo de coco.  Isso acontece porque a Manteiga Clarificada Ghee é composto de dezenas de ácidos graxos (tipos de gorduras) com pontos de derretimento, fusão e solidificação diferentes. Então quando temos temperaturas mais baixas, estas dezenas de ácidos graxos solidificam a uma temperatura constante mais baixa para ficar com aparência lisinha e uniforme. Ou então, quando a manteiga é transportada ou exposta na prateleira de uma loja, fica exposta a variações de temperaturas. Isso faz com que esses ácidos graxos derretam e voltem a cristalizar, outros sequer voltam a solidificar. Isso acaba conferindo ao produto o aspecto bifásico. Este aspecto físico não altera o sabor, validade ou qualidade da Manteiga Clarificada Ghee. É apenas uma mudança física na textura.

Essas mudanças na textura da Manteiga Clarificada Ghee comprovam que ela é totalmente pura, assim como o mel que cristaliza é o mais puro que tem.

Legislações Consultadas

Abraços,
Helena Muzzi

Pimentas podem ser benéficas à minha saúde?

A comunidade científica está sempre procurando novas maneiras de melhorar a nossa qualidade de vida e combater doenças. Com o avanço das pesquisas na área da medicina e, consequentemente, na nutrição, é comum encontrarmos teorias sobre alimentos que, além de nutrir, podem ter características medicinais.

Esses super alimentos são também chamados de funcionais: aqueles que tem na sua composição algum nutriente ou composto que age de maneira benéfica no nosso organismo, fortalecendo o sistema imunológico ou reduzindo riscos de desenvolver doenças.

Na extensa lista destes alimentos podemos encontrar alguns utilizados no nosso dia a dia, como é o caso da pimenta.

Porque a pimenta é um alimento funcional?

A pimenta contém, em sua composição, um composto químico chamado capsaicina, que é responsável pela sensação de ardência causada por este alimento.

Ela é relacionada com a alteração de funções corporais como a melhora da circulação sanguínea (por causa de seu efeito vasodilatador) e melhora da digestão.

A capsaicina ainda é conhecida por seu efeito termogênico, que é sua característica mais estudada, já que está relacionada com o aumento do metabolismo corporal.

Efeito termogênico

Muitos profissionais da saúde tem divulgado o uso dos mais diversos tipos de pimenta na alimentação, com a justificativa de que auxilia no controle de peso. De fato, a pimenta apresenta efeito termogênico cientificamente comprovado, podendo ser observado um aumento do metabolismo corporal após a ingestão de uma pequena quantidade deste produto.

A relação deste aumento com a consequente perda de peso ainda está sendo questionada e estudada por universidades e centros de pesquisa de todo o mundo. Apesar de encontrar indícios de que o controle do peso pode ser favorecido com a ingestão da pimenta, não é possível afirmar com certeza se esta é uma das mais variadas características da capsaicina.

Outros benefícios da pimenta

Além da poderosa capsaicina, a pimenta apresenta outros nutrientes que podem ser benéficos ao organismo humano. Elas são fonte importante de vitamina C, ferro, cálcio, vitamina A e vitaminas do complexo B, além de também conterem licopeno em sua composição.

O licopeno e a vitamina C, especialmente, são importantes antioxidantes provenientes da nossa alimentação, atuando na prevenção de doenças como a diabetes, o colesterol alto e, até mesmo, alguns tipos de câncer.

Quais são os melhores tipos de pimentas para a saúde?

Levando em consideração a concentração de capsaicina na composição, as pimentas mais fortes, ou com maior ardência, são mais ricas neste composto químico, podendo favorecer seu efeito termogênico, vasodilatador e analgésico.

Mas isso não significa que as pimentas de sabor suave, como a pimenta biquinho, não tenham seu valor nutricional – quanto mais vermelha sua casca e mais suculenta sua polpa, mais ricas em vitamina C e licopeno essas pimentas serão. Por isto não existe a espécie de pimenta mais saudável; todas tem suas características importantes para a nossa alimentação.

Opinião Final

Para manter a saúde é necessário aliar vários fatores: alimentação e hábitos saudáveis… Para qualquer tipo de mudança em sua alimentação, consulte um médico ou nutricionista. Não existe milagre, existe foco e disciplina!

Levou em consideração começar a temperar seus pratos com pimenta? Elas podem ser uma boa solução para melhorar a qualidade da sua alimentação, além de oferecer ousadia e sabor para a nossa culinária. Clique aqui e confira nossa variedade de pimentas

Abraços e até o próximo post!

Helena Muzzi
Engenheira de Alimentos


 

Aprenda a Fazer Conservas de Pimentas

 

manteiga clarificada ghee é zero lactose

Manteiga Clarificada Ghee tem Lactose?

Outra dúvida constante de consumidores que entram em contato com nossa empresa é: Manteiga Clarificada Ghee é Zero Lactose?

A manteiga clarificada Ghee é produzida através de um processo lento de aquecimento da manteiga fresca. Os resíduos sólidos do leite são reduzidos e a água presente na manteiga é evaporada, por isso o termo clarificada. Devido a isso a Manteiga Ghee é ideal para uma culinária saudável. Ela não queima ao ser aquecida e é muito saborosa. Porém, alérgicos a alguma substância do leite não podem consumir Ghee. Intolerantes a lactose só podem consumir se autorizado pelo médico ou nutricionista responsável.

Atenção: Ghee PODE CONTER RESÍDUOS DE PROTEÍNA DO LEITE e não é seguro para alérgicos ao leite.

O processo de clarificação NÃO ELIMINA todos os resíduos das proteínas do leite. A Ghee é um produto lácteo e deve ser rotulado como tal: CONTÉM DERIVADOS DE LEITE. Por essa razão, não pode ser recomendado para ALÉRGICOS.

Manteiga Clarificada Ghee é Zero Lactose

Para se comprovar que a Manteiga Clarificada Ghee é “Zero Lactose” é necessário fazer a análise de Teor de Lactose pelo método Elisa, que tem um limite de detecção de 37mg/100g de produto. Pois as demais metodologias, o limite de detecção é de 200mg/100g de produto, portanto, superior ao que a Lei n° 13.305/2016 da Anvisa permite, que é de 100mg/100g. O processo de produção de Ghee na grande maioria das empresas é artesanal, pois é um processo caro e lento. Sendo a qualidade do produto final, avaliada de forma mais sensorial que analítica. Mesmo fazendo uma certa amostragem e os resultados estando dentro dos limites da legislação, existe o risco de algum lote sair fora do limite legal.

Ghee tem resíduo de proteínas de leite?

Para as proteínas, ainda é mais complexo, pois o processo de clarificação também não significa que não há proteínas do leite no produto. Os testes de teor de proteínas tradicionais também não tem acurácia para detectar traços, somente os específicos para alergênicos. “Sobre o grau de sensibilidade de pessoas alérgicas a tolerarem traços ou não, é um dado muito inconsistente, já que uma pessoa alérgica que tolera traços hoje, pode ter uma reação anafilática amanhã ao consumir algum produto com traços. Novamente, somente médicos e nutricionistas podem liberar o consumo de traços na dieta de uma pessoa alérgica e nunca outro profissional”, conforme relato da nutricionista Carla Maia. Isso protege a todos, não só os alérgicos, mas as empresas também.

O que diz a Legislação

Até a regulamentação da Lei n° 13.305/2016 da Anvisa, na verdade nenhum produto derivado de leite poderia estar como Zero Lactose. Segundo nossa consulta a Anvisa na Resposta Técnica n° 2016388907 em 12/2015: “Em atenção a sua solicitação, esclarecemos que existem empresas e associações/sindicatos de laticínios que, por via judicial, conseguiram via judicial o direito de usar alegações específicas para lactose em seus rótulos. A regulamentação da Lei n° 13.305/2016 pela Anvisa contribuirá para o fim dessas judicializações e para terminar com a assimetria de informações no mercado.” Porque a RDC n° 26/2015 que trata sobre os alergênicos não contempla as intolerâncias alimentares, como a intolerância à lactose.

Opinião Final

manteiga clarificada ghee é zero lactoseEu pessoalmente, como engenheira de alimentos e responsável técnica da Essência do Vale, fico receosa com essas alegações sobre lactose, por mais que comercialmente para as empresas sejam interessantes, porque, especificamente, no caso de derivados de leite é complexo, pois envolve a possibilidade de reações alérgicas e/ou gastrointestinais inesperadas, consequentemente, envolve a saúde do consumidor.

É uma situação totalmente diferente de teor de sódio, açúcares, calorias, etc…

Portanto, optamos por não declarar Zero Lactose na Manteiga Clarificada Ghee da Essência do Vale, pois preferimos sempre zelar pela saúde dos consumidores, mesmo que isso signifique perder vendas no ponto de venda devido à má interpretação do consumidor.

Algumas referências importantes sobre o tema, enviadas pela nutricionista Adriana Fernandes:

1. Orientações sobre gestão de alérgenos e informação do consumidor. Disponível em: https://www.food.gov.uk/sites/default/files/multimedia/pdfs/maycontainguide.pdf

2. Alergia ao leite de evasão lista escondido nomes para leite. Disponível em: http://www.kidswithfoodallergies.org/media/Milk-Allergy-Avoidance-List-Hidden-Names.pdf

3. Intolerância ou alergia? Disponível em: http://www.alergiaaoleitedevaca.com.br/intolerancia-ou-alergia

4. Ghee tem leite, oras. Disponível em: https://www.facebook.com/heloize.milano/posts/1151711534895592?pnref=story

5. Alergia Alimentar: Guia de Treinamento para a Faculdade e Universidade Food Service. Disponível em: https://www.foodallergy.org/education-awareness/community-resources/about-the-fare-college-food-allergy-program

6. Guia para o diagnóstico, tratamento e prevenção de condições de a a z – alergia ao leite de dieta. Disponível em: http://www.hopkinsmedicine.org/healthlibrary/conditions/allergy_and_asthma/milk_allergy_diet_85,P00023

7. Alimentos e nutrição. Leite – um dos dez prioridade alérgenos alimentares. Disponível em: https://foodallergiesetc.wordpress.com/2012/12/30/allergen-milk-alert/