Saúde das Crianças: Lancheira Saudável e seus Benefícios

por Denise Cussioli 

As crianças desde cedo estão expostas a uma ampla variedade de alimentos com diversas composições, sabores, texturas e cores, porém, muitos destes alimentos são  ricos em açúcares, sal e em gorduras.

Isso ocorreu, devido a uma revolução que se produziu no modo de vida e nos hábitos alimentares das crianças atribuídas pelas, propagandas de produtos alimentícios na televisão, influências comportamentais negativas de sua família (horários rígidos para realizar as refeições e erros nas escolhas e práticas alimentares). As práticas alimentares são importantes na determinação das condições de saúde nesta fase da vida, pois os filhos vão sempre usar os pais como um parâmetro para saber o que pode ou não.

A falta de atividade física associada a uma má alimentação, coloca o futuro das crianças em risco. O que é necessário então?

Uma refeição equilibrada em nutrientes (quantidade, qualidade, harmonia e adequação)…

Interessante, mas não é nada fácil colocar uma fruta na lancheira escolar da criança e ele compartilhar com a lancheira de seus amiguinhos de escola com biscoitos recheados…

Por isso, os hábitos saudáveis devem vir de casa, na prática e nos conceitos sobre alimentação, a medida que as crianças crescem, adquirem conhecimento e assimilam conceitos – período ideal  para fornecer informações nutricionais  sobre a importância de consumir  alimentos como frutas, verduras e legumes.

Além de promover atitudes  positivas em relação a estes alimentos, investir na imaginação, fazer com que a  criança monte sua própria  lancheira, preparando seu lanche e suas escolhas  de forma colorida  e caprichada para ser consumida com prazer. Experimentar, degustar novos alimentos e colocar a mão na “massa” preparando seu lanche… desperta a curiosidade da criança.

Uma refeição ou lancheira com fontes de nutrientes proveniente das frutas, verduras e legumes  irá contribuir na concentração dos estudos e, consequentemente, aumentar o rendimento escolar.

Alimentos ultraprocessados, ricos em açúcares, sal e gordura, como os refrigerantes, bisnaguinhas, bolos e pães com farinha branca, têm alto índice glicêmico, ou seja, libera açúcar muito rápido para a corrente sanguínea, dando um pico de energia instantânea, porém passageira, não satisfazendo a “fome’ e aumentado o consumo destes respectivos alimentos.

O hábito de manter uma alimentação saudável infantil auxilia na prevenção de cáries e ajuda na manutenção do peso e a ser um adulto saudável.

Como oferecer opções saudáveis para a lancheira?

O ambiente fora de casa pode ser um incentivo para a criança provar algo diferente, vale conversar com os outros pais da escola para que todos promovam a lancheira saudável, assim todas as crianças se beneficiam.

Uma lancheira saudável precisa ser composta com fonte de alimentos que contenham carboidratos, fibras, proteínas, vitaminas, gorduras boas e pequenas quantidades de açúcares. Por exemplo:

  • Fonte de carboidratos ricos em fibras: pães integrais, pão com frutas cristalizadas, pão sírio, pão de cenoura, pão de beterraba, crepes, batata doce, bolos e biscoitos integrais todos preparados em casa (sem a farinha branca), não colocar cobertura nos bolos… Sugestões: Bolo de laranja com erva doce, bolo de beterraba, bolo de milho, bolo de banana, etc. Preparados com pouco óleo vegetal, sal e ou açúcar. Os bolos podem ser embrulhados em filme plástico, quando frescos duram cinco (05) dias. O bolo caseiro e pães substituem os bolinhos e bisnaguinhas industrializados.
  • Fonte de proteínas: carnes (bovina, frango, peixe e suína) podem ser utilizadas no recheio de tortas salgadas ou salgados assados. Para rechear mini sanduiches, prefira queijos ou requeijão artesanais, patês de atum ou frango (feitos com queijo ricota ou requeijão artesanal). As preparações com patês duram até três (03) dias na geladeira. As carnes assadas de uma preparação do domingo podem ser desfiadas, acrescentadas nos recheios e/ou com saladas. Temos os iogurtes, de preferência, o natural com pedacinhos de frutas,  vitamina de frutas, queijos magros artesanais (mais brancos e claros) e omeletes preferencial assados.
  • Fonte de vitaminas e minerais: frutas, verduras e legumes, prefira sempre os da época (*), sucos naturais de frutas sem açúcar, diversificando com cenoura e beterraba, maçã verde e salsão, água de coco. Sugestão: preparar a polpa da fruta congelada, bata os pedacinhos das frutas com um pouco de água e congele em forminhas de gelo. No dia de montar a lancheira, coloque alguns gelinhos desta polpa na garrafa térmica com mais uma pouco de água (ou água de coco), sacudir e beber. As verduras e legumes podem ser acrescentas na massa ou recheio de tortas, pães e salgados assados, preparar saladas com tomatinhos colocar torradinhas e pedacinhos de queijos.
  • (*) outubro é época de: abacaxi, jabuticaba, banana-nanica, laranja-lima, laranja pera, cara, cogumelo, ervilha, inhame, pimentão, rabanete, almeirão, couve-manteiga, couve-flor, escarola (chicória), espinafre, louro, orégano.

* Denise Cussioli Gonçalves, Nutricionista e Gastrônoma, CRN3 5417. E-mail: [email protected]

Lanche Saudável

Dica #EssenciadoVale: Manga e Ameixa em Cubos e Creme de Cacau Meio Amargo Essência do Vale

Jam x Jelly: Entenda a Diferença Técnica

Há alguns bons anos traduzimos os nomes das nossa geleias para o Inglês, pois é comum pessoas comprarem em nosso Empório de Fábrica, principalmente as de sabores tropicais, para presentear amigos e parentes que moram em outros países, ainda mais agora com os rótulos pintados em aquarela pela artista plástica Cibele Leonetti.

Após isso, os clientes começaram a nos perguntar qual a diferença entre Jam e Jelly e, porque, tratamos nossas Geleias como Jam e não Jelly?

Vamos lá a explicação…

Vivemos em um pais de leis complexas…A legislação de alimentos não foge a regra e até dificulta para muitas empresas. Além disso, para determinados produtos também é inexistente ou falha, então recorremos aos Padrões Internacionais (Codex Alimentarius, Diretivas Européias, FDA, etc.) para nos orientar.

Para as Geleias o mais comum é adotar o Padrão Codex Stan 296/2009 – Codex Standart for Jams, Jellies and Marmelades , pois nossa legislação é vaga e incompleta para geleias. Com a revogação da Resolução CNNPA n° 12, de 1978, que contemplava padrões de Geleias, nenhum padrão para geleias foi estipulado.

Jam x Jelly: qual a diferença

O Codex Alimentarius descreve detalhadamente quais parâmetros cada tipo de produto necessita cumprir para se enquadrar em cada nomenclatura.
Jam: Produto de consistência adequada, feito da fruta inteira, ou pedaços de frutas, ou polpa de fruta concentrada ou purê de fruta.
Jelly: Produto gelificado e semi-sólido feito de suco ou extrato aquoso de fruta.
Marmelade: Produto de consistência adequada feito de frutas cítricas, podendo ser de toda a fruta, ou dos pedaços, ou do suco.
Jelly Marmalade: Produto obtido de frutas cítricas, onde todos os sólidos insolúveis são removidos do suco, podendo conter poucos pedaços de casca.

Teor Mínimo de Frutas

Pelo Codex, as geleias podem se classificar com Extra e/ou Alto Teor de Frutas e/ou Premium, se cumprirem os seguintes requisitos:

– o percentual de frutas no produto acabado não pode ser inferior a 45%, para as frutas em geral (o que equivale a aproximadamente 60% de frutas na receita);
– 35% para groselha, manga, marmelo;
– 30% para graviola e cranberry;
– 25% para banana, gengibre, goiaba, jaca;
– 23% para caju;
– 10% para tamarindo;
– 8% para maracujá ou frutas de alta acidez;

Pela Resolução CNNPA n° 12, de 1978 é extra ou premium quando preparadas com no mínimo 50% de frutas frescas.

Consistência de Geleias

De acordo, com a Resolução CNNPA n° 12, de 1978,  as geleias não poderiam conter menos de 62% de sólidos solúveis, devendo estar firmes na embalagens, consistência adequada, sem liberação de água (sinerese) e com sabor e aroma adequados das frutas. Já o Padrão Codex Stan 296/2009, estipula um padrão de 60 a 65% de sólidos solúveis no produto final.

Como no Brasil, agora não há padrão para teor de sólidos solúveis para geleias, estamos vendo no mercado algumas geleias sem consistência adequada e “moles”. Porque as geleias que estão no padrão estipulado pelo Codex tem uma consistência mais firme, quase de corte.

Vejam o vídeo abaixo…

As geleias Essência do Vale são produzidas com a fruta fresca e/ou congelada e/ou polpa integral (purê), cumprindo o padrão Codex como Extra Jam, ou seja, mínimo 60% de fruta, têm consistência adequada, se mantêm firmes dentro da embalagens e são enriquecidas com no mínimo 4% de Biomassa de Banana Verde, conferindo uma textura diferenciada e melhorando o valor nutricional ao produto.